Não há como montar um home theater de qualidade sem um bom subwoofer. Essa caixa acústica é a principal (embora não única) responsável pelo impacto dos efeitos sonoros que você ouve nos filmes e séries, especialmente nas cenas de ação; esse impacto também está presente nas trilhas musicais, assim como na música em geral. Então, nada melhor do que aprender a escolher, instalar e ajustar seu subwoofer.

Antes disso, algumas informações fundamentais. O subwoofer foi criado para complementar o trabalho das outras caixas acústicas. Atua dentro de uma faixa limitada de frequências, abaixo dos 200Hz, onde estão os sons graves e subgraves. Existe grande quantidade desses sons naquelas cenas de trombadas, socos, tiros, perseguições e motores roncando. Sem o sub, essas sequências perdem força e, dependendo do filme, fica totalmente comprometido o envolvimento. Já na música, os graves podem ser apreciados em instrumentos como contrabaixo, violoncelo e órgão, mas também estão presentes no piano e em partes da percussão.

E engana-se quem pensa que não aparecem na música eletrônica; os efeitos gerados em computador e/ou sintetizadores também contêm boa dose de baixas frequências. É por tudo isso que se costuma dizer que o subwoofer é fundamental. E há uma enorme variedade de marcas e modelos para escolher, mas atenção:

  • Evite marcas desconhecidas ou que não tenham distribuição oficial no Brasil;
  • Pesquise bastante na internet, mas jamais compre um subwoofer (ou qualquer caixa acústica) sem ouvir;
  • Prefira comprar em lojas que tenham um show-room onde você possa ouvir músicas e  trechos de filmes e saber se o som lhe agrada;
  • Veja ao final desta matéria uma lista de indicações de nossa equipe.

Geralmente os subwoofers são cubos em cores escuras, e algumas pessoas se incomodam com isso. Pode não ficar bonito na sala. Mas quem tem essa preocupação encontra hoje inúmeras opções em cores e formatos, inclusive os subs esféricos que têm um inegável apelo visual. O formato cúbico é importante para controlar a grande massa de ar que se forma dentro da caixa. É que o impacto dos graves depende disso, embora novos desenhos internos permitam atualmente manipular as baixas frequências tão bem quanto os demais sons.

Outro ponto importante é o tamanho: são raros (e bem mais caros) os subwoofers de pequeno porte que conseguem produzir impacto sonoro. O mais seguro é encontrar na sala um espaço para acomodar o sub e deixá-lo trabalhar. Importante: evite colocar junto à parede ou dentro de um móvel apertado. O sub precisa de espaço para poder “respirar”. Se a sua sala tem até 25m2, um subwoofer com falante de 8 polegadas deve ser suficiente para espalhar os graves de forma homogênea e agradável. Para espaços maiores, convém pensar em modelos de 10”, 12” ou até 15”; ou então considerar a possibilidade de ter dois subwoofers compactos, em lados opostos da sala.

Na hora da escolha, é preciso avaliar também a potência do subwoofer e sua capacidade de resposta. A maioria deles é do tipo ativo, ou seja, vem com amplificador interno. Consulte na ficha técnica a “potência RMS”, que é a forma de medição correta (ignore a “potência de pico”, ou Peak Power Output). Aqui, você deve verificar a potência de seu receiver para combiná-la com a do subwoofer. A relação é de 1 para 2: se o receiver é especificado em 100W por canal, o sub deve ter 200W.

Já quanto à resposta de frequências, o ideal é que o sub atinja o nível mais baixo que o ouvido humano consegue alcançar: 20Hz; modelos mais sofisticados chegam a 10Hz… Mas modelos que descem até 30 ou 40Hz costumam oferecer ótimo impacto; e, nas especificações, confira também a perda de energia, que deve ser de até +/-3dB.

Veja a seguir uma seleção com alguns dos melhores subwoofers à venda atualmente, para saber mais detalhes de cada modelo. 


AAT DIAMOND: falante de 12”, potência 750W, resposta de 25 a 150Hz (-3dB); destaque para a entrada balanceada (XLR), que garante melhor proteção contra interferências no sinal.



JBL STUDIO 650P: 10”, 250W, 30-150Hz; destaque da marca americana no Brasil, pode ser encontrado em duas opções de acabamento.



LOUD ÁUDIO SW12000C: com falante de 12”, 200W de potência e resposta de 37 a 150Hz, é do tipo down-firing (com falante voltado para o piso).



LUDK DISQRETO III: 10”, 100W, 40-160Hz, chama atenção pelo gabinete fino (apenas 12,5cm) com falante lateral; indicado para som ambiente e salas compactas de home theater.



PARADIGM DEFIANCE X15: especialista em subwoofers, a marca canadense traz esse gigante de 15”, com 900W e extensão de 18 a 240Hz (+/-1.5dB); possui circuitos digitais de equalização e calibragem via app.



POLK AUDIO HTS12: com 12”, 200W e alcance de 28 a 120Hz (-3dB), este é um dos modelos mais vendidos da marca americana; destaque para a tecnologia PowerPort, que reduz as distorções.

Obs.: informações técnicas fornecidas pelo fabricante e/ou distribuidor oficial no Brasil.

Entre em contato para mais informações. Para conhecer nossos produtos agende uma visita e conheça nosso showroom.

Telefone: (19) 2121-8034
WhatsApp:
(19) 98767-8558
E-mail: contato@startsollution.com.br